É o teu nome que eu escrevo no cantinho da folha do meu caderno. São as iniciais do teu nome que eu escrevo em minha mão junto com as iniciais do meu nome. Sei que não sei nada sobre o amor, mas acho que estou te amando.
Amanda Macêdo (enfurecer)
Smile, just smile
Facebook Instagram Tumblr Tumblr 2 link link
+
Sabedoria não é saber pra onde ir e sim saber pra onde não se deve voltar.
Caio Augusto Leite.  (via incalculado)
Eu gosto de olhos que sorriem, de gestos que se desculpam, de toques que sabem conversar e de silêncios que se declaram.
Machado de Assis.  (via involuntus)
Vamos brincar com os imperfeitos, porque os perfeitos são falsos.
Há 1 semana 0 notas · reblog
– Você não se sente sozinha aqui no deserto?
– No meio da multidão também nos sentimos sozinhos.
O Pequeno Príncipe.  (via romantizar)
Porque, no meio dos meus erros, o meu acerto foi você.
Robin and Stubb.   (via romantizar)
Há 2 semanas 0 notas · reblog
Há 2 semanas 0 notas · reblog
As coisas mudam. E os amigos partem. E a vida não para pra ninguém.
As vantagens de ser invisível.  (via constelava)
Só porque estou perdendo, não significa que eu esteja perdido, não significa que irei parar, não significa que deva me render. Só porque estou sofrendo, não significa que estou ferido, não significa que eu não tenho o que eu mereço, nem o melhor e nem o pior. Eu apenas me perdi, toda porta que testei, estava trancada.
Coldplay.   (via acumulou)
Rimas. Ri mais? Rir, mas de quê? Talvez um quê de queijo, um bê de beijo. Beijo vai, mas bem jovem. Então vem! Nu mesmo, vem nuvem, vem. Mas vem sem. Sem vergonha, sem pudor, sem graça, sem açúcar e sentimento. Se sentir, não vou deixá-lo ir. Sem ir, sem ti, eu não vou a lugar nenhum, nem dois, nem três e nem quartos. Por que mentes? Ah, que mentes não sentiriam saudades doentes… Do ente querido, do ente que queria ter ido, do ente que quase foi. Ufa, e foi por pouco. Já anoiteceu. A noite teceu estrelas, estralos, entranhas e estranhos. A noite teceu trapézios trapezistas, trôpegos, traficantes, trapaceiros e tresloucados. Também temor. Ter amor, amoras, amantes, amarelos… Ah, não. Amá-los ou amar elos? Meio a meio, meio fio, meio feio, meio feito. Essa história meio fora de hora de novo? Sim. De novo, de novo e de manhã, de tarde, de velho, de ontem, de frente, defronte e de ré. Ré é renascer renascentista, iluminista, sulista, turista, budista, autista. Arista? Mundano! Mundo mudo muda mudas. Mudas de gente descrente, descontente, demente, indecente, decadente, ai! Dor de dente, dor de gente. E quem cura? Loucura.
Cinzentos.  (via poetadoalem)
Amar é mandar, achar que manda, obedecer, fingir que obedece. Amar é fazer vitamina de banana com nescau, é dar bom dia espreguiçando as vértebras com os braços esticados, sorrindo envergonhado de remela nos olhos. Amar é dizer “vem cá”, ter os pés aquecidos sem pedir, comemorar o dia do primeiro beijo, chegar da festa e comer pizza gelada. Só ama aquele que começa a falar pelo fim, que diz sim sem saber a pergunta, que discute o namoro sem lugar-comum. Ama quem sai na rua pra tirar fotos, pra ver estrela riscar o céu, pra pisar na grama descalço, pra pegar um cineminha na terça. Amar é perguntar “tá dormindo?”, é descer do ônibus com o outro à espera, é cantar “she loves you yeah yeah yeah”, é morder queixo, orelha, cotovelo, panturrilha, lábio. Amar é comer uma coisa diferente e lembrar o outro, é ficar de mal, é arrumar tempo pra pensar no outro na correria do dia.
Gabito Nunes. (via reeditar)
Se você tiver que chorar, chore como as crianças. Você já foi criança um dia, e uma das primeiras coisas que aprendeu em sua vida foi chorar; porque faz parte da vida. Jamais esqueça que você é livre, e que demonstrar emoções não é vergonha.
Paulo Coelho.  (via romantizar)
FUTURASUICIDA ©